Porque o desapego pode mudar a sua vida 

vida feliz

Desapego. Quem ouve essa palavra, muitas vezes, pensa em pessoas que vivem sem muitos bens materiais ou até mesmo, sem se importar. Desapego, às vezes, parece andar com a indiferença. Mas só parece. Desapegar é muito mais do que tudo isso que você poderia imaginar e certamente pode te fazer muito bem.

desapego

A carta de hoje do Jogo do Eu, a última carta, foi “Livre-se de algo”. A ideia era procurar entre suas coisas pessoais alguma que pudesse ser jogada fora ou doada. Quando eu vi o desafio, gostei e não achei difícil. Porém, o dia acabou, eu não cumpri a tarefa e vou explicar o porquê.

Eu já sou uma pessoa muito desapegada, em alguns aspectos. Odeio ficar guardando entulho, se não serve jogo fora. Sempre que compro roupas novas, tiro algumas velhas para doação. Vivo fazendo arrumação (coisa de virginianos) e adoro ver tudo limpo e no lugar. Tenho sim objetos que não gostaria de me desfazer, mesmo aparentemente eles não me servindo mais, mas não é algo que me faz sofrer.

E foi justamente por isso, que eu não cumpri o desafio. Eu olhei a minha volta e não vi nada que estivesse sobrando. Tenho poucas coisas e está tudo sendo muito bem utilizado. No último final de semana eu fiz umas aquisições no shopping, então já tirei uns shorts e sapatos velhos. Também andei jogando fora umas bolsas e doando brinquedos.

Como o desapego vai te fazer mais feliz

Apesar de não ter visto muito o que desapegar e acabar não cumprindo o desafio, eu refleti muito sobre essa carta. Sempre fui muito apegada às pessoas e chegava a ser ciumenta demais por conta disso. Mas com o tempo e com as coisas que a gente vive, aprendi a deixar livre, deixar fluir. Tudo na vida é passageiro e tudo uma hora vai acabar.

Tudo nessa vida é emprestado, até mesmo nosso corpo.  A gente veio sozinho e vai voltar sozinho. Não sei pra onde, mas sei que vamos! Então porque ficar guardando tanta coisa que você não pode levar? A gente muda de cidade, de escola, de curso, de amigos, de cor de cabelo, de casa e de tantas outras coisas o tempo todo. A vida é isso, transformação. Então deixe pra trás o que não te serve mais, sem dor nem apego.

O desapego vai mudar a sua vida quando você entender que:  Somos passageiros

Você é o único responsável por tudo o que acontece contigo. Assuma as rédeas e pare de se apegar às desculpas.

Viva o presente. Não se apegue ao que já passou, pare de se lamentar, guardar rancor ou qualquer outro sentimento ruim. Também não queira prever o futuro e nem mesmo sofrer por algo que ainda não aconteceu.

Liberte-se. Seja livre de crenças, de preconceitos, de pessoas que te sugam, de lugares desagradáveis, de coisas que não te fazem caminhar pra frente. E deixe que os outros também sejam livres para fazer as escolhas que bem entenderem.

Viva as mudanças. Toda mudança é difícil, porque mudar é desapegar. A gente tem medo do novo, porque sabe que nele não teremos as certezas do agora. Desapegue de certezas. Se você quer algo diferente, tem que fazer algo que nunca fez. Então desapegue de hábitos ruins e mude.

Desapegue e viva melhor

Pode existir sim o desapego que está relacionado com a frieza e a indiferença. Mas eu vejo muito mais pelo lado bom da palavra. Desapegar é viver a vida como ela tem que ser vivida, de forma muito mais leve e natural. E quando você entender isso, tudo vai fazer mais sentido.

Hoje eu falei na minha terapia sobre como depositar a energia nas coisas certas faz tudo fluir melhor. E para conseguir isso, eu tive que desapegar. De dinheiro, de um trabalho, de uma rotina. Eu fui obrigada a fazer escolhas e deixar para trás pessoas e hábitos antigos. Eu desapeguei de crenças e medos, para trilhar um novo caminho. E isso só está me trazendo retornos positivos.

Certamente eu não teria criado essa série e ajudado tantas pessoas se não tivesse desapegado há uma semana atrás. Entenda que desapegar é muito mais do que jogar fora um bem material. Desapego é um sinal de amadurecimento, consciência e liberdade espiritual e isso só pode ser um sinal de felicidade.

Compartilhe:

Comente o que achou: